Isto Também Passará

Um dervishe, depois de uma árdua e longa viagem através do deserto, chegou por fim à civilização. O povoado se chamava Colinas Arenosas e era quente e seco. Não havia muito verde, exceto feno para o gado e alguns arbustos. As vacas eram o principal meio de vida das pessoas de Colinas Arenosas. O dervishe perguntou educadamente a alguém que passava se havia algum lugar onde poderia encontrar comida e abrigo para aquela noite.

Nada é perene
Nada é perene

– Bem, disse o homem coçando a cabeça – não temos um lugar assim no povoado, mas estou certo de que Shakir ficará encantado de lhe brindar com sua hospitalidade esta noite.

Então o homem indicou o caminho da fazenda de propriedade de Shakir, cujo nome significa “o que agradece constantemente ao Senhor”.
No caminho até a fazenda, o dervishe parou perto de um pequeno grupo de anciões que estavam fumando cachimbo e eles confirmaram a direção. Eles disseram que Shakir era o homem mais rico da região.
Um dos homens disse que Shakir era dono de mais de mil vacas.

– E isso é maior do que a riqueza de Haddad, que vive no povoado ao lado.
Pouco tempo depois o dervishe estava parado em frente a casa de Shakir a admirando. Shakir, que era uma pessoa muito hospitaleira e amável, insistiu para que o dervishe ficasse por alguns dias em sua casa.
A mulher e as filhas de Shakir eram igualmente amáveis e deram o melhor para o dervishe. Inclusive, ao final de sua estadia, lhe deram uma grande quantidade de comida e água para sua viagem.
No seu caminho de volta para o deserto, o dervishe não conseguia parar de se perguntar o significado das últimas palavras de Shakir.
No momento da despedida o dervishe havia dito:

– Dê Graças a Deus pela riqueza que tens.

– Dervishe – havia respondido Shakir – não se engane pelas aparências, porque isto também passará. Continue lendo “Isto Também Passará”

Não pratique o mal, mas não aceite desaforos- Uma filosofia simples

Durante a maior parte da minha vida, tenho inconscientemente cumprido um mandamento não escrito. Um que é simples compreender, muitas vezes difícil de aplicar, mas sempre gratificante a longo prazo, se seguido a risca.

Esta filosofia simples é bem parecida com a lei da reciprocidade, popularmente conhecida como Regra de Ouro:

A regra de ouro pode ser encontrada em incontáveis tradições e filosofias pelo mundo.

Estas tradições datam de milhares e milhares de anos, em lugares como antigo Egito, China, Grécia, Roma, Pérsia, entre outros.

As implicações são magnificas de serem contempladas; Apesar de serem separadas geograficamente, a humanidade compartilha uma ética e ideologia comum. Além de estarem separadas por milhares de anos que foram canonizados pela guerra, o desejo de viver em paz continua inalterado.

Embora eu tenha o máximo respeito e admiração pela regra de ouro, ela ainda permanece incompleta porque não aborda um tópico imperativo: como lidar com aqueles que violam inconscientemente sua doutrina.

Não pratique o mal, mas não aceite desaforos.

Continue lendo “Não pratique o mal, mas não aceite desaforos- Uma filosofia simples”

Ritual de Apoio – Change Brasil

Esse ritual possui a intenção de fornecer ajuda mística aos manifestantes nos diversos lugares do Brasil, por ocasião dos protestos da Copa. Ele não é restrito, e qualquer um pode utilizá-lo. Está simples para que cada um adapte da forma como deseja, o importante é fazer alguma coisa. Repasse a seus conhecidos para ajudarem também : https://www.divagacoes.org/ritual-de-apoio/

Esse ritual possui a intenção de fornecer ajuda mística aos manifestantes nos diversos lugares do Brasil, por ocasião dos protestos da Copa. Ele não é restrito, e qualquer um pode utilizá-lo. Está simples para que cada um adapte da forma como deseja, o importante é fazer alguma coisa. Repasse a seus conhecidos para ajudarem também : https://www.divagacoes.org/ritual-de-apoio/

Passo 0 – Preparação.

Você deve se certificar de que não será interrompido durante a execução da rotina. Escolha um local calmo e tranquilo, aonde você poderá fazer uma introspecção sem problemas. Se possível, escolha um ambiente com pouca iluminação e o mais silencioso possível. Você pode executar um Ritual de Banimento a sua escolha, caso ache necessário.
De acordo com o seu paradigma, você pode preparar coisas adicionais que serão utilizadas no passo 2 do ritual. Alguns exemplos do que você pode fazer de forma adicional:
a) Preparar Sigilos Mágicos intentando apoio aos manifestantes. Intentos úteis são aqueles que visam “proteger a integridade física e mental dos participantes”, “garantir que a informação do protesto se espalhe e atinja mais gente”, “minar as forças governamentais que querem reprimir o protesto”, etc. Seja criativo.
b) Preparar hinos e rituais de invocações de determinados aspectos e entidades para o auxílio dos participantes.
c) Velas, incensos, Etc. Seja criativo.

Passo 1 – Relaxamento

  1. Assuma uma posição confortável. Caso escolha fazer sentado mantenha as mãos sobre as coxas, e os pés afastados um do outro. Seja qual for a posição, sua coluna sempre deverá se manter ereta, a língua encostada no céu da boca.
  2. Feche os olhos, e assuma um ritmo de respiração profunda e lenta.
  3. Comece a prestar atenção nos pés por alguns segundos. Mentalmente, relaxe-os.
  4. Suba a sua atenção para as pernas por alguns segundos. Relaxe.
  5. Concentre-se nos joelhos, fazendo concentração para relaxar. Faça o mesmo sem seguida com as coxas e com os quadris.
  6. Relaxe o Abdômen, o diafragma, as costelas. Faça o mesmo com o peito, e depois guie a concentração relaxando os ombros, os antebraços, os braços, indo para as mãos, até a ponta dos dedos.
  7. Sinta o pescoço, a parte interna da garganta, a glote. Relaxe.
  8. Relaxe o queixo, as bochechas, as orelhas. Suba a concentração para a testa e depois para couro cabeludo.
  9. Permaneça nesse estado por mais alguns segundos. Ordene, mentalmente, que o corpo relaxe como um todo, sem se esquecer de respirar.

Passo 2 – Meditação e Visualização

  1. Por alguns instantes, tente sentir a si mesmo, e o fluxo de energia que corre pelo seu ser.
  2. Quando sentir que já conseguiu identificar com sucesso o seu próprio fluxo de energia comece a visualizar todos os grupos de manifestantes como se fosse algo palpável. Tente visualizá-los ao mesmo tempo em que você sinta a energia desses grupos. É muito importante visualizar e sentir.
  3. Uma vez que tenha conseguido visualizar tanto a si mesmo quanto aos manifestantes, comece a mandar pensamentos e vibrações que você considere importantes para ajuda-los. Proteção, Coragem, Temperança, Sabedoria e Sucesso são alguns exemplos, mas você pode mandar outros.
  4. Caso você tenha preparado algo de adicional, como explicado no Passo 0, é a hora de utilizá-lo.
  5. Faça uma evocação pessoal a Entidade Divina mais pura que consiga conceber e que faça parte de seu paradigma, pedindo a proteção dos manifestantes, e também proteção para você. Medite por alguns instantes sobre esse pedido. É importante que você coloque fortes e genuínas emoções (ou o mais próximo que conseguir) nisso. Quando sentir que já é o suficiente, passe para o encerramento do ritual.

Passo 3 – Desligamento e encerramento

  1. Comece voltando à consciência normal, prestando atenção nos seus pés, acordando-os. Sequencialmente, vá acordando aos poucos cada parte do corpo, até chegar à cabeça.
  2. Se for da sua preferência, realize o ritual de banimento que mais lhe servir. Levante-se, e tenha um ótimo dia!
Autor: anônimo

Sobre o fazer

“Os bons magistas, feiticeiros, xamãs, monges, sacerdotes e iluminados tem muito mais o que fazer do que ficar papeando em internet. Trabalho sempre tem, falta é quem queira  trabalhar. As pessoas mais iluminadas que eu conheço são super na delas e trabalham pra caramba, todo dia tem o que fazer, e quem trabalha, por si mesmo e pelo outros, não tem tanto tempo de ficar nesse meio “espiritual-esotérico-mágico” de gente que sabe de tudo, fala mais do que escuta, e não sabe lidar com a mínima perturbação espiritual real na prática. Como provavelmente diria Crowley, evite essas pessoas como se elas fossem leprosas. Gente assim mais atrapalha a jornada espiritual alheia do que ajuda, eles projetam os medos deles, se eles não conseguiram fazer (como não conseguem quase nada mesmo) eles te dizem pra ter cuidado, é perigoso, não faça isso, etc. Quem quer crescer de verdade, precisa parar de assuntar com esse tipo de gente, e procurar se aproximar de gente que leva isso à sério mesmo, gente que está decidida à se iluminar, e que tenha algo a acrescentar e à incentivar, e não a amedrontar e confundir. Essa gente ainda não se tocou da real, da imensidão cósmica, eles podem até ter lido muito sobre isso, mas enquanto não tiverem experiência real com o astral superior, vão continuar ocupando seus dias em pequenices e fanfarronices, ao invés de dedicarem esforço real pela evolução de suas almas. Nego não tem a mínima noção de que os pequenos prazeres desse mundo não são nada se comparados com os primores das esferas superiores, se soubessem parariam de falar e começariam a trabalhar pra sair da lama… Mas tipo, sempre foi assim né, não há tanto o que fazer por eles além de cuidar de si mesmo e ser um bom exemplo.” – Noleto, Andreas

Votando Nulo

Outro excelente Post do Rev. Beraldo
concordo em gênero, numero e grau.

Se voltássemos ao ano de 2006, poderíamos acompanhar uma de minhas aulas no SENAI. Carteiras enfileiradas; janelas de ferro à esquerda que davam para o pátio, e uma grande janela de vidro à direita, transformando a sala num gigante aquário de alunos para quem quer que passasse nos corredores.

Era época de eleição, o assunto surgiu e o professor falava que nunca deveríamos ficar em cima do muro. Tínhamos, sempre, de tomar uma decisão, mesmo que não tivéssemos uma opinião formada sobre o assunto (se houvesse tal coisa como “opinião formada”, para começo de conversa, seríamos seres previsíveis — robôs, não seres humanos). Dizia que não deveríamos, portanto, votar nulo, ou branco, porque isso é se eximir de suas obrigações.

Novamente estamos em época de eleição. E eu, que agora sou obrigado a votar, continuo, inflexivelmente, a querer votar nulo. Continue lendo “Votando Nulo”

Escolas, Linhagens e Tradições

O que é exatamente uma linhagem, o que é uma escola iniciática, o que é uma sociedade secreta?

Quais semelhanças e diferenças entre elas?

Este artigo tem como objetivo apresentar algumas considerações sobre esse tema.

Nossa civilização é fruto de um processo histórico, onde grupos em guerra pelo poder não tiveram receio de invadir, saquear e destruir outras culturas, assim como de destruir os grupos dissidentes dentro de seu próprio seio.

Vejam por exemplo a Igreja Católica Apostólica Romana, condenando a morte os Cátaros e Templários, entre muitos outros, porque essas irmandades, até então parte da Igreja, ameaçavam com seu modo de ser os grupos que pretendiam manter seu poder dentro da instituição.

Isto é algo que não pode ser esquecido, dentro das instituições religiosas que se tornaram meios de poder existe uma guerra entre diversas facções em busca do controle da Instituição.

Até o Budhismo, com sua filosofia ímpar em equilíbrio e paz não escapou destas contradições, como as lutas internas entre facções diferentes que aconteceram no Tibete antes deste ser cruelmente invadido pela China, que aliás está neste momento aumentando a repressão sobre os poucos mosteiros que ali ainda restam.
Continue lendo “Escolas, Linhagens e Tradições”

Sobre Conhecimento e Ensino

por Por Gibran Khalil Gibran

E um homem disse: “Fala-nos do conhecimento de si próprio.”

E ele respondeu, dizendo:

“Vosso coração conhece em silêncio os segredos dos dias e das noites;

Mas vossos ouvidos anseiam por ouvir o que vosso coração sabe.

Desejais conhecer em palavras aquilo que sempre conhecestes em pensamento.

Quereis tocar com os dedos o corpo nu de vossos sonhos. E é bom que o desejeis.

A nascente secreta de vossa alma precisa brotar e correr, murmurando para o mar;

E o tesouro de vossas profundezas ilimitadas precisa revelar-se a vossos olhos.

Mas não useis balanças para pesar vossos tesouros desconhecidos;

E não procureis explorar as profundidades de vosso conhecimento com uma vara ou uma sonda,

Porque o Eu é um mar sem limites e sem medidas.

Não digais: ‘encontrei a verdade.’ Dizei de preferência ‘Encontrei uma verdade.’

Não digais: ‘Encontrei o caminho da alma.’ Dizei de preferência: ‘Encontrei a alma andando em meu caminho.’

Porque a alma anda por todos os caminhos.

A alma não marcha em linha reta nem cresce como um junco.

A alma desabrocha, qual um lótus de inúmeras pétalas.”

Então, um professor disse: “Fala-nos do ensino.”

E ele respondeu, dizendo:

“Homem algum poderá revelar-vos senão o que já está meio adormecido na aurora do vosso entendimento.

O mestre que caminha à sombra do templo, rodeado de discípulos, não dá de sua sabedoria, mas sim de sua fé e de sua ternura.

Se ele for verdadeiramente sábio, não vos convidará a entrar na mansão de seu saber, mas vos conduzirá antes ao limiar de vossa própria mente.

O astrônomo poderá falar-vos de sua compreensão do espaço, mas não vos poderá dar a sua compreensão.

O músico poderá cantar para vós o ritmo que existe em todo o universo, mas não vos poderá dar o ouvido que capta a melodia, nem a voz que a repete.

E o versado na ciência dos números poderá falar-vos do mundo dos pesos e das medidas, mas não vos poderá levar até lá.

Porque a visão de um homem não empresta suas asas a outro homem.

E assim como cada um de vós se mantém isolado na consciência de Deus, assim cada um deve ter sua própria compreensão de Deus e sua própria interpretação das coisas da terra.”

fonte:(livro “O profeta”)