skip to Main Content
duende@divagacoes.org

Servo Obturaculum – Ficha de Servidores

Uma das principais práticas na chaos magick é a criação e trabalho com servidores. Este post não se destina a tratar sobre essa prática, mas sim fornecer uma ficha de criação inspirada em fichas de RPG – a Servo Obturaculum*. Isso pode deixar as coisas mais interessantes e organizáveis.

O PDF da Servo Obturaculum está disponível para download no nosso grupo e pode ser melhorada com o tempo. Ela foi adaptada da sugestão encontrada no livro do David M. Cunningham – Creating Magickal Entities.

Servo Obturaculum

Servo Obturaculum

Continue lendo

Guia Rápido – Os Quarenta Servos

 

Guia Rápido Os Quarenta Servos

Está chegando agora? Recomendo que de uma olhada nesse post para saber O que são Os Quarenta Servos, qual é seu propósito e como foram criados.

Se já souber o que são, se utilizou alguns deles algumas vezes e quer estreitar esse relacionamento então faça o ritual de apresentação dos quarenta servos, para aprender como se deve trabalhar com eles de uma forma mais natural.

Além disso no post Guias e Tabelas comparativas – Os Quarenta Servos contém listas com as semelhanças e diferenças entre os servos, uma tabela com as categorias elementais e alguns exemplos de uso em conjunto para diversos fins.

Segue abaixo um guia rápido com as descrições contidas no grimório dos Quarenta Servos. Clique em cada servo para abrir uma descrição detalhada, sua imagem e sigilo em nova página.

Continue lendo

Guias e Tabelas comparativas – Os Quarenta Servos

 

Esta publicação, junto com Guia Rápido dos Quarenta Servos, será de grande benefício para a maioria de vocês e deve responder a muitas perguntas e esclarecer alguns pontos que ainda não estão muito claros. Detalhei as diferenças entre os Servos que são de natureza semelhante e depois falei sobre Os Servos que estão em oposição uns com os outros. Em seguida, coloquei cada um deles em sua respectiva categoria Elemental e terminei com alguns servos que trabalham bem juntos.

Muitas coisas interessantes para serem estudadas aqui, dediquem um tempo nesse post, será muito válido e proveitoso.

Espero que este post ajude a incentivá-lo(a) a ser um pouco mais criativo(a) com a forma de uso dos Servos para diferentes efeitos. Qualquer dúvida, basta perguntar nos comentários.

Continue lendo

Como Começar a trabalhar com Os Quarenta Servos

Primeiros Passos

Antes de ler qualquer coisa sobre o que os Servos representam ou quais são seus poderes, passe algum tempo olhando suas imagens e veja quais são as idéias que brotam em sua mente. Deixe que sua mente relaxe e tente se libertar das noções preconcebidas que você possa ter sobre os nomes, rótulos ou arquétipos que os Servos representam. Apenas deixe-os falar através de suas imagens e depois anote todos os detalhes sobre os Servos que vêm à mente. Algumas pessoas relatam receber nomes especiais para cada Servo que são únicos para eles, enquanto outros acham que eles sentem que já conheciam alguns dos Servos em particular há anos. Este é um passo importante e muitas vezes leva a grandes idéias e entendimentos. Claro, se nada vem à mente também é perfeitamente normal. A experiência de todos será diferente.

Queimar a Caixa

Uma tendência apareceu logo depois que Os Quarenta Servos se tornarem públicos: as pessoas se sentiam obrigadas a queimar a caixa dos Quarenta Servos quando elas chegaram. As cartas são então colocadas em sua nova casa, como uma caixa de madeira, uma bolsa de pano ou similar. Este ato tornou-se tão popular, que senti que precisava mencioná-lo aqui. Eu deixarei para você decidir se esse ritual é para você ou não. Esse ritual é muito opcional.

Deixe que o The Saint apresente você ao outros Servos

O que se segue abaixo é o esboço do ritual de Iniciação para os Quarenta Servos usando o THE SAINT como um intermediário.

Este deve ser um dos primeiros rituais que você executa quando você começa a trabalhar com Os Quarenta Servos. Este ritual tem três fases.

Continue lendo

O que exatamente são Os Quarenta Servos?

Com a permissão do Tommie Kelly, traduziremos materiais dos Quarenta Servos, o post atual é um FAQ introdutório desse link: https://www.adventuresinwoowoo.com/thefortyservants/#whatare

Espero que gostem, com o passar do tempo também cada um dos servos(e também o guia rápido).
Achou que ficou bom? Tem algo a acrescentar? Deixe nos comentários!

Espalhem essa ideia

O que exatamente são Os Quarenta Servos?

Primeiramente (#foratemer), Os Quarenta Servos são quarenta arquétipos individuais, ideias ou representações de energias que podem ser usadas para propósitos divinatórios. Por exemplo, você pode embaralhar o deck, escolher as cartas e coloca-las de forma que siga uma determinada jogada. Analisando a posição das cartas na jogada e pesquisando o que aquela carta representa pode oferecer algum insight sobre a questão perguntada.

Em segundo lugar, Os Quarenta Servos também podem ser usados no seu dia a dia cotidiano para aumentar ou diminuir a quantidade de energia ou influencia que aquele Servo representa. Isto é conhecido em alguns lugares como “Magia”, mas alguns chamam por outros nomes.

Você pode usar Os Quarenta Servos exclusivamente como instrumento divinatório, ou exclusivamente para magia, ou usa-los para ambas as coisas. É uma escolha totalmente sua, de acordo com suas necessidades ou preferências. Se divinação não é a sua praia então o uso mágico vai continuar te servindo tão bem quanto, o oposto também é verdade.

Mas as descrições acima são somente de seu uso e não de sua natureza. Então, o que exatamente são Os Quarenta Servos?

Continue lendo

Fotamecus!

Chegou agora e não sabe quem é o Fotamecus? Tenta aqui http://pt.scribd.com/doc/58673814/fotamecus-completo Com o tempo eu passo a informação dele pra cá Fonte:http://vimeo.com/31321971 Procura-se tradutores/legendadores

Continue lendo
Servidores, Egrégoras E Formas De Deuses

Servidores, Egrégoras e Formas de Deuses

Invocação

Tratemos mais a fundo sobre a belíssima magia octarina, que compreende principalmente a magia do caos – aquele sistema desenvolvido por Peter J. Caroll, Austin Osman Spare e alguns nomes atuais cujas propostas ousadas e inovadoras mostraram-se notáveis.
É difícil escolher um caminho, então por que não construir sua própria estrada, colorindo-a conforme seu digníssimo senso estético? Analisemos em primeiro lugar as dificuldades.
É difícil praticar a magia cinza na vida mundana, pois o ideal seria retirar-se para as florestas, morar numa cabana afastada, com os índios ou qualquer coisa parecida com isso. Digamos que seria um incentivo altamente desejável.
No caso da magia vermelha, o ambiente ideal de meditação seria um mosteiro ou eremitério. Isso também ocorre em relação à via branca que exige um ambiente isolado para purificação. A vida mundana costuma contaminar essas linhas, isso é fato. Afinal, como atingir o equilíbrio perfeito com a natureza (mundo animal, vegetal, mineral) a ponto de fundir-se a ela, abandonar todo tipo de desejos e prazeres ou tornar-se imensamente bom num ambiente tão hostil e tentador? Não estou dizendo que ter prazeres e ter uma vida normal seja “ruim” ou “mau”; é que simplesmente distrai; muito!
Portanto, existem duas linhas da magia que são ideais a vida moderna: magia negra e magia do caos. A magia negra lida com manipulação psicológica, numa espécie de alteração de personalidade auto induzida e trabalha com áreas perigosas e assombrosas. Ainda assim, esse mago vai enfrentar certos problemas de integração social, dificuldade de se relacionar com pessoas (caso não adapte constantemente sua personalidade forte para um convívio social razoável) e sem contar certas quebras de lei e regras morais, devido a sua postura bastante heterodoxa em relação ao bem e ao mal.
Sendo assim, resta ao magista as seguintes opções:
1 – Adaptar-se para seguir uma das três linhas de forma medíocre ou incompleta (verde, vermelha e branca) devido às limitações que a vida diária impõe. Se não fizer isso, resta morar num mosteiro, eremitério, floresta ou cabana no alto de uma montanha, com sua horta particular.
2 – Seguir uma magia negra bem moderada e leve, sem sacrifícios, sem destruições fortes, sem enlouquecimento psicológico. Se não fizer isso, você corre o risco de ser preso ou viver num inferno cercado de inimigos e ódio.
3 – Seguir a magia octarina!
A magia octarina é uma via interessante para o mundo moderno. Um ponto extremamente positivo em relação a essa magia é usar a crença como ferramenta – a famosa oração científica, invocação de personagens de jogos e derivados – pois muitos olham com ceticismo a existência da alma, de Deus ou até mesmo da própria magia! Mas aqui você pode partir do princípio de que nada disso existe, que talvez nem você exista. Ou você mesmo pode criar isso tudo; se tudo existe ou nada existe de verdade não importa! Magia é manipular o aspecto mental, o psicológico. Todas as linhas giram em torno disso. Na magia do caos não é diferente. Basta usar os elementos externos para atingir o estado que os caoístas chamam de gnose – alfa para os wiccanos, samadhi para os budistas, ora, nomes não importam aqui – e fazer as coisas acontecerem.
Duas populares ferramentas na chaos magick são os sigilos e servidores.

Continue lendo

A Força

Yellow!

Do bico das galinhas, meu amigo Octavius decretou bons augúrios. Comecemos a reunião.

Nosso tema hoje é um dos meus favoritos: servidores e guardiões.

Como sempre irei supor que todos sabem do que eu estou falando e o básico sobre o tema, caso não saiba, pesquise. Se eu receber email: onde eu encontro isso?
minha resposta é automática: http://www.google.com/

Experimento 3: Dollhouse.

Continue lendo
Back To Top
Search