Ritual de Apoio – Change Brasil

Esse ritual possui a intenção de fornecer ajuda mística aos manifestantes nos diversos lugares do Brasil, por ocasião dos protestos da Copa. Ele não é restrito, e qualquer um pode utilizá-lo. Está simples para que cada um adapte da forma como deseja, o importante é fazer alguma coisa. Repasse a seus conhecidos para ajudarem também : http://www.divagacoes.org/ritual-de-apoio/

Esse ritual possui a intenção de fornecer ajuda mística aos manifestantes nos diversos lugares do Brasil, por ocasião dos protestos da Copa. Ele não é restrito, e qualquer um pode utilizá-lo. Está simples para que cada um adapte da forma como deseja, o importante é fazer alguma coisa. Repasse a seus conhecidos para ajudarem também : http://www.divagacoes.org/ritual-de-apoio/

Passo 0 – Preparação.

Você deve se certificar de que não será interrompido durante a execução da rotina. Escolha um local calmo e tranquilo, aonde você poderá fazer uma introspecção sem problemas. Se possível, escolha um ambiente com pouca iluminação e o mais silencioso possível. Você pode executar um Ritual de Banimento a sua escolha, caso ache necessário.
De acordo com o seu paradigma, você pode preparar coisas adicionais que serão utilizadas no passo 2 do ritual. Alguns exemplos do que você pode fazer de forma adicional:
a) Preparar Sigilos Mágicos intentando apoio aos manifestantes. Intentos úteis são aqueles que visam “proteger a integridade física e mental dos participantes”, “garantir que a informação do protesto se espalhe e atinja mais gente”, “minar as forças governamentais que querem reprimir o protesto”, etc. Seja criativo.
b) Preparar hinos e rituais de invocações de determinados aspectos e entidades para o auxílio dos participantes.
c) Velas, incensos, Etc. Seja criativo.

Passo 1 – Relaxamento

  1. Assuma uma posição confortável. Caso escolha fazer sentado mantenha as mãos sobre as coxas, e os pés afastados um do outro. Seja qual for a posição, sua coluna sempre deverá se manter ereta, a língua encostada no céu da boca.
  2. Feche os olhos, e assuma um ritmo de respiração profunda e lenta.
  3. Comece a prestar atenção nos pés por alguns segundos. Mentalmente, relaxe-os.
  4. Suba a sua atenção para as pernas por alguns segundos. Relaxe.
  5. Concentre-se nos joelhos, fazendo concentração para relaxar. Faça o mesmo sem seguida com as coxas e com os quadris.
  6. Relaxe o Abdômen, o diafragma, as costelas. Faça o mesmo com o peito, e depois guie a concentração relaxando os ombros, os antebraços, os braços, indo para as mãos, até a ponta dos dedos.
  7. Sinta o pescoço, a parte interna da garganta, a glote. Relaxe.
  8. Relaxe o queixo, as bochechas, as orelhas. Suba a concentração para a testa e depois para couro cabeludo.
  9. Permaneça nesse estado por mais alguns segundos. Ordene, mentalmente, que o corpo relaxe como um todo, sem se esquecer de respirar.

Passo 2 – Meditação e Visualização

  1. Por alguns instantes, tente sentir a si mesmo, e o fluxo de energia que corre pelo seu ser.
  2. Quando sentir que já conseguiu identificar com sucesso o seu próprio fluxo de energia comece a visualizar todos os grupos de manifestantes como se fosse algo palpável. Tente visualizá-los ao mesmo tempo em que você sinta a energia desses grupos. É muito importante visualizar e sentir.
  3. Uma vez que tenha conseguido visualizar tanto a si mesmo quanto aos manifestantes, comece a mandar pensamentos e vibrações que você considere importantes para ajuda-los. Proteção, Coragem, Temperança, Sabedoria e Sucesso são alguns exemplos, mas você pode mandar outros.
  4. Caso você tenha preparado algo de adicional, como explicado no Passo 0, é a hora de utilizá-lo.
  5. Faça uma evocação pessoal a Entidade Divina mais pura que consiga conceber e que faça parte de seu paradigma, pedindo a proteção dos manifestantes, e também proteção para você. Medite por alguns instantes sobre esse pedido. É importante que você coloque fortes e genuínas emoções (ou o mais próximo que conseguir) nisso. Quando sentir que já é o suficiente, passe para o encerramento do ritual.

Passo 3 – Desligamento e encerramento

  1. Comece voltando à consciência normal, prestando atenção nos seus pés, acordando-os. Sequencialmente, vá acordando aos poucos cada parte do corpo, até chegar à cabeça.
  2. Se for da sua preferência, realize o ritual de banimento que mais lhe servir. Levante-se, e tenha um ótimo dia!
Autor: anônimo

Quando a Força de Vontade é atropelada por Maus Hábitos

“A Consência sussura, mas interesses gritam alto.” ~J. Petit-Senn

Você já se preparou para iniciar um novo hábito ou objetivo, mas encontrou sua força de vontade falhando?

Muitos novos empreendimentos são frustrados pelo hábito de checar e-mails pela manhã. Por exemplo – queremos exercitar (caminhar ou correr) ou escrever ou meditar, mas não podemos resistir verificar e-mail por apenas um minuto… e então nos perdemos, descendo o buraco do coelho.

Como podemos construir a força de vontade para vencer estes maus hábitos?

Leitora Shanna Mann escreveu recentemente:

“Adoraria saber como superar força de vontade sendo isto a palavra final no estabelecimento de metas :). Eu estava fazendo páginas matinais esta manhã, e apesar de apreciar a tarefa, valorizando a clareza que ela traz, e ser capaz quantificavelmente de medir o quanto mais produtiva elas me fazem, acho tão difícil escrevê-las em vez de checar meus e-mails na primeira coisa na parte da manhã.
O que diabos eu estou errando aqui? “

Shanna, é claro, está falando sobre a sugestão de Julia Cameron de escrever três páginas a mão num fluxo livre da consciência, todas as manhãs, não importando sobre o que escrever, antes de fazer qualquer outra coisa. Eu estou meio que fazendo isso agora, enquanto escrevo este post.

É um belo hábito. Mas Shanna é desarmada pelo desejo de verificar primeiramente os e-mails todos os dias. Ela está carente de força de vontade para alcançar seus objetivos?

Em uma palavra: não. Continue lendo “Quando a Força de Vontade é atropelada por Maus Hábitos”

O tempo e seu valor

O Tempo Constitui Um Recurso Natural Valioso
Por : Carlos Cardoso Aveline

Qualquer momento é adequado para planejar com atenção o uso do tempo. É preciso, no entanto, ter a capacidade interior de observar com calma o ritmo atual das nossas atividades, para então decidir onde e como modificar a rotina e usar da melhor forma possível esse recurso limitado e de enorme valor.

“Águas passadas não movem moinho”, afirma o ditado. De fato, o tempo pode ser considerado um recurso natural em grande parte não-renovável. O uso correto do misterioso tempo ? talvez o mais valioso dos recursos naturais ? é um dos grandes desafios do cidadão em todas as épocas. Vivemos hoje sob a ditadura dos relógios, e a sensação de que o tempo é curto é quase universal nos dias atuais. Somos interrompidos a todo momento em algumas das nossas atividades. Por isso nem sempre é fácil viver profundamente ou descobrir que, como almas espirituais, teremos o tempo eterno à nossa disposição, se usarmos com alguma sabedoria o tempo miúdo de curto prazo.

 

Apesar dos obstáculos criados pela nossa própria ignorância, é provavelmente possível para cada um de nós planejar e usar o tempo de modo mais inteligente.

A solução está em definir um rumo próprio para nossas vidas e em não nos deixar levar para lá e para cá pelas pressões de curto prazo. Um dos primeiros passos talvez seja descrever por escrito, em um caderno de anotações, as metas dos próximos doze meses, ou da próxima década. O mero ato de escrever parece dar mais clareza às nossas idéias. Mas é essencial, também, fazer periodicamente uma avaliação dos resultados obtidos, revisando e atualizando as metas a partir dos fatos novos e da experiência adquirida. Planejamentos eficientes são flexíveis e abertos às possibilidades do futuro, incluindo as agradáveis e as não-agradáveis.

Continue lendo “O tempo e seu valor”

Explicando a engenharia reversa

Continuando com a série Douglas Adams explica: magia.

O novo guia introduz o conceito de Engenharia Reversa, puxando um pouco a sardinha pro lado dele:

[…]

O pássaro- Guia não respondeu de imediato. Abriu as asas e, com uma graça sem esforço, ergueu-se no ar e voou para a chuva, que estava enfraquecendo novamente.

Planou em êxtase sobre o céu noturno; luzes piscaram à sua volta e dimensões trepidavam com sua passagem. Mergulhou, girou, subiu novamente, tornou a girar e, finalmente, aquietou—se bem próximo do rosto de Random, batendo as asas lenta e silenciosamente. Continuou a falar com ela.

—Seu universo é vasto para você. Vasto em tempo, vasto em espaço. Isso se deve aos filtros através dos quais você o percebe. Mas eu Continue lendo “Explicando a engenharia reversa”