Mantendo um journal

O exercício de transformar em palavras reflexões sobre eventos que passou durante o dia a dia é uma maneira inestimável de mensurar sua performance, definir padrões elevados de excelência e encontrar novas formas que resolver problemas difíceis.

O que um journal pode fazer?

Muitas pessoas têm certa resistência a manter um journal porque eles pensam que não são escritores bons o suficiente, que alguém vai ler seus pensamentos mais profundos ou ainda que eles têm coisas mais importantes pra fazer.
Mas a menos que seja capaz de avaliar seus sentimentos e habilidades, e aceitar autocrítica, você provavelmente não vai se preocupar em diminuir suas fraquezas ou aumentar suas forças.
Invés de pensar que esse journal é o mesmo que um diário (um livro que você meramente relata seus eventos do dia), pense que é um local para autorreflexão, auto expressão e auto exploração NT (utilizo a palavra journal justamente por conta dessa diferenciação). Recontar os eventos do dia é menos relevante do que o ato de expressar seus pensamentos.
Apenas pensar sobre suas emoções já vai permitir que dê forma a elas.

Benefícios de manter um journal.

Continue lendo “Mantendo um journal”

A personalidade mágica e a prática.

Você dorme mal, acorda cedo, trabalha muito, se desgasta, come porcarias com pressa, navega na internet sem rumo, sem foco e sem atenção, chega em casa acabado e o Frater Prophecy quer que você acorde as 4 horas da manhã para rezar ? E o Marcelo Del Debbio quer que você fique fazendo exercícios de visualização ?

Como superar a inércia ? Como travar esse combate com a preguiça física, mental e espiritual ?

Existem várias formas, mas poucas tão eficazes e eficientes como uma personalidade mágica.

Uma personalidade mágica basicamente é um personagem criado por você para realizar as tarefas que o seu Eu comum seria incapaz de realizar.

O mundo como se encontra hoje parece ser desenhado para dificultar seu trabalho espiritual e mágico impedindo o desenvolvimento das nossas práticas, seja antes (preparação), durante (realização) e depois (estudo).

Na prática funciona assim:

João chega em casa cansado e quer ver TV, mas comprometeu-se a realizar uma meditação de 10 minutos e anotar os resultados, para fazer isso ele precisa pelo menos tomar uma banho simples de limpeza e se alimentar de algo leve e saudável.

9 em cada 10 vezes João vai para a internet, e de lá para a cama.

Porque João faz isso ? Em uma próxima coluna abordaremos o conceito dos muitos “Eus” morando em cada um de nós, por ora basta dizer que João não conseguirá realizar seus rituais, porque João quer descansar do trabalho, fica pensando na conta que vai vencer, nos problemas na família e em todo tipo de poluição mental e emocional que o impede de dedicar 10 minutos para si mesmo.

João então pensa como seria bom se ele já fosse um mago sábio, diligente e poderoso. Então ele decide criar uma personalidade mágica, reúne qualidades que ele tem dentro de si mas que raramente usa, em conjunto ou separadamente, transcreve tudo isso e pensa num nome que lhe traga essa sensação de tudo que ele quer ser. Frater Hierofante.

No dia seguinte João chega cansando do trabalho e tem certeza que não vai conseguir realizar o ritual, então ele decide “invocar” o Frater Hierofante. Ele se sente meio esquisito e meio ridículo no começo, mas decide se esforçar para manter o padrão de pensamentos do Frater Hierofante, se ele era incapaz de tomar um bom banho antes, o Frater Hierofante agora toma um banho cheio de significados, imaginando que a água o limpa em vários níveis, físico, emocional e espiritual. Ele ingere uma fruta mas antes se concentra em dar alguma energia específica para a fruta. Como hoje será um trabalho de concentração ele vai comer um morango devidamente carregado de disciplina. Coloca suas roupas de Frater Hierofante e medita durante os 10 minutos, anotando todos os resultados em seu diário mágico.

Frater Hierofante deixa suas roupas e seu quarto e João pode surfar a vontade na internet com a sensação de trabalho bem feito.

Na magia do CAOS existe o conceito de “fake it, until you make it”, a ideia aqui é dissociar por alguns momentos a sua persona comum da sua persona mágica permitindo que você realize um trabalho bem feito, sem se preocupar com as frivolidades da sua vida profana.

É importante ter a consciência de que não basta escrever meia dúzia de palavras num papel, pensar num nome pomposo e achar que vai fazer as chamadas enochianas ainda hoje. A personalidade mágica é algo que precisa ser desenvolvido e cultivado com carinho e responsabilidade.

É como um Você melhorado, despido das justificativas do ego, tudo o que você tem de melhor, uma amalgama de todas as suas qualidade que despontam quando você fez aquele ritual com o coração, quando você teve aquela intuição, quando você superou um limite.

Praticamente uma incorporação de EU superior, e como incorporação deve ser treinada e levada a sério, não ao ponto de virar uma neurose de dupla personalidade mas um comprometimento consigo mesmo de não estragar essa coisa especial que você criou para si.

Comece com pequenos passos, não realize um ritual logo de primeira se você ainda não esta confiante, um banho ou uma refeição por exemplo, ainda que seja só uma ducha ou uma fruta.

Você pode assumi-la momentaneamente numa fila de banco para realizar um alinhamento de chakras ou uma respiração consciente, treinando-a e treinando você pouco a pouco para tirar melhor proveito dela.

Os desdobramentos da técnica são muitos mas todos com esses propósito: Realizar, Concretizar, Manifestar.

Eu espero que você faça bom proveito dessa técnica e caso tenha alguma dúvida ou queira compartilhar com os irmão suas experiências, é mais que bem vindo para utilizar o espaço dos comentários.

Agradecimentos especiais ao Frater Petrus Philateus e aos alunos do curso de Magia Prática de Julho no Templo AyaSofia.

Por Frater Alef

fonte: http://www.deldebbio.com.br/2012/08/06/a-personalidade-magica-e-a-pratica/

II Simpósio Brasileiro de Hermetismo

O II Simpósio Brasileiro de Hermetismo e Ciências Ocultas, que será realizado nos dias 23, 24 e 25 de junho de 2011(corre ainda dá pra garantir sua vaga), tem por objetivo trazer estudos mais aprofundados à Ciência Hermética. Com apoio da Associação Educacional Sirius-Gaia e do Projeto Mayhem, o evento tem como tema geral a discussão sobre as práticas ocultistas.

A Programação deste ano será composta de Palestras e Workshops com alguns dos mais importantes estudiosos de Hermetismo, Ordens Iniciáticas e Magia no Brasil.

PROGRAMAÇÃO:
Continue lendo “II Simpósio Brasileiro de Hermetismo”

I Simpósio Brasileiro de Hermetismo

Simpósio HermetismoDias 14 e 15 de Novembro acontece em São Paulo o Primeiro Simpósio dedicado ao estudo das Ciências Herméticas. Coordenado pelo Projeto Mayhem e a Fundação Sirius-Gaia, este provavelmente será o melhor evento de debates e estudos de 2010. Entre os palestrantes estão o Acid (autor do site Saindo da Matrix), o Frater Goya (do Círculo Iniciático de Hermes), Frater Ael ( Collegium ad Lux et Nox – CALEN), Fernando Maiorino (Umbanda Iniciática), Edmundo Pellizari (Palas Athenas), Carlos Basílio Conte (Teosofia, Secretaria de Cultura do Grande Oriente de São Paulo – GOSP), Antônio Lawand (Ordens de Aperfeiçoamento Maçônico, Sênior Demolay), Patrícia Fox (Sagrado Feminino), Ionne Cirilo (Xamã), Cynthia Carpigiani (vetfloral) e Marcelo Del Debbio (Teoria da Conspiração).

Além das Palestras, o pessoal ficará todo no mesmo hotel, ou seja, teremos também todo o tempo de almoços e jantares para debatermos e conversarmos a respeito de ocultismo, alquimia e hermetismo.

Programação:

Continue lendo “I Simpósio Brasileiro de Hermetismo”

Realidade ou Ficção?

Se a vida é ilusão para o hinduísmo, para o budismo, e desta forma os mestres herméticos o afirmam, o que será então a realidade? E, igualmente, o que será esta ficção? Se o homem é estrangeiro nesta terra, e como tal vive ao começar um trabalho interno alheio aos outros, qual é o critério de “verdade” ou “mentira”? Que soleira sutil se transpassa entre uma forma de ver e a outra? Pois, embora o que se considere mais estranho no homem contemporâneo (do qual somos ainda parte) é sua maneira de se aferrar e se identificar com as coisas, aqueles que se permitem esta atitude interna ou extraterrestre são considerados igualmente estranhos para o meio. Ao se abrir uma porta e dar um passo à frente, as coisas estarão banhadas de uma outra luz e de um outro conteúdo. Se fecharmos essa porta e dermos um passo para trás, essas mesmas coisas aparecerão familiares em seu nível rasante e cotidiano. Realidade ou ficção? Continue lendo “Realidade ou Ficção?”