Ritual Menor do Pentagrama – Completo e Detalhado

Traduzido por Andreas Noleto

As instruções reais para fazer o próximo ritual que você aprenderá, o Ritual Menor do Pentagrama, serão dadas adiante. Agora, neste ponto, há provavelmente alguns de vocês lendo isso e pensando: “Mas eu aprendi esse ritual anos atrás! Alem disso, é tão simples!”. Bem, se você acha que é simples você nunca fez corretamente e com pleno conhecimento do ritual. É um ritual básico, mas não é simples. É curto e fácil de memorizar, mas não simples.

De acordo com meu dicionário, a palavra “básico” significa “algo que forma uma base, como um ingrediente básico, algo que é fundamental”. Eu não posso estimar a natureza fundamental desse ritual e como sua prática vai mudar a sua vida e melhorar suas habilidades psíquicas e mágicas. Eu o tenho feito pelo menos uma vez por dia por quase dez anos, e não tenho vontade de parar. É um ritual curto e básico que é necessário para o seu desenvolvimento como um verdadeiro Mago Cerimonial.

Há três razões para fazer este ritual. A mais importante, ainda que mais etérea, é conhecer a si mesmo. Você vai saber se você tem a força de vontade para manter a pratica de um ritual desse tipo em uma base diária. Você irá desenvolver um sentimento diferente sobre si mesmo e sua relação com os outros e com o mundo ao seu redor. Isso irá afetá-lo de muitas formas positivas, sutis.

Em segundo lugar, ele irá expandir a sua aura. Isso fará com que os outros gostem de você, te respeitem mais e venham até você por conforto. Você vai perceber que isso está acontecendo quando as pessoas começam a fazer perguntas como: “essa roupa é nova? você emagreceu? fez algo no cabelo?” mesmo que a roupa seja velha, seu cabelo seja o mesmo e que não tenha perdido uma grama. A maioria das pessoas pode detectar a aura inconscientemente e serão capazes de notar alguma mudança em você. Mas não vão saber que foi a aura que mudou, então eles tem que vir com algo que lhes é familiar, algo no plano físico como um corte de cabelo, roupas ou peso. Conforme sua aura se expande e ilumina, você também vai notar que está tornando-se mais forte espiritualmente e psicologicamente do que jamais esteve antes.

Em terceiro lugar, esse ritual (RMP para abreviar) irá remover das imediações (banir) quaisquer influências indesejáveis. Isto inclui influências físicas e as não-físicas incluindo forças astrais e elementais. Esta é uma das maiores defesas contra ataque psíquico de todas. Quanto mais você praticar o RMP, mais seguro, e mais em paz você estará.

A atitude que você adota quando executa este ritual é importante. Pessoas que trabalham com computadores costumam dizer: “lixo entra, lixo sai”. De forma similar, você sairá do ritual com exatamente o que colocou nele. Vá para este ritual com raiva e você irá sair dele sentindo mais raiva. Você deveria assumir uma postura de beleza e júbilo. Realizar alguma pratica de relaxamento imediatamente antes do RMP vai ajudá-lo a alcançar o estado de consciência desejado.

Você deve ser muito positivo; seguro de que quando você chamar os Arcanjos eles estarão lá, certo de que os pentagramas estão realmente lá, confiante de que está fazendo no máximo empenho possível para você.

No entanto, você não deve ter “ânsia de resultado”. Concentre-se no ritual, não no que você espera que seja o resultado do ritual. Se você executar o ritual com total concentração, você será bem sucedido. Se você se concentrar em outra coisa, como o que você espera experienciar ou o que você espera como resultado do ritual, você estará dividindo suas energias e o ritual vai diminuir em sua eficácia.

Quando você executa o ritual, você precisa entender que você não está mais em sua casa ou apartamento. Nem está apenas ao ar livre. Em vez disso, você está no Templo dos Deuses. Você também está na presença da Divindade. Onde quer que esteja, quando você faz este ritual a área se torna um lugar sagrado. Você deve tratá-lo como tal.

Lembre-se também que você é um novato, um estudante, um mago em treinamento. Você não é um Bruxo ou Magus de alto nível. Portanto, seja humilde, especialmente na presença do Divino.

Há várias coisas físicas que você pode querer usar quando executar o RMP. No entanto, há apenas uma coisa que você deve ter, que é um lugar onde você possa ficar sozinho e imperturbável.

Para fazer este ritual não são necessários mais do que dez minutos e, uma vez que seja memorizado, menos tempo ainda será necessário. Certifique-se de que você não será perturbado por este breve período de tempo. Este ritual não é para os olhos do público.

No RMP você estará fazendo grandes estrelas de cinco pontas, pentagramas, no ar de uma maneira específica. Sua mão esquerda deve permanecer ao seu lado. Se você tiver uma adaga (não a adaga do ar, use outra adaga para o RMP), mantenha-a em sua mão direita. Se não tiver, feche o punho e aponte o dedo indicador. Aponte para fora na altura do seu quadril esquerdo. Desenhe uma linha para acima de sua cabeça, depois mova a lâmina para fora de seu quadril direito. Em seguida mova sua lâmina até a altura do ombro esquerdo, então leve horizontalmente em direção a altura do ombro direito. Finalmente, mova de volta para o quadril esquerdo, terminando exatamente onde você começou.

Seu dedo ou a ponta da adaga deve estar sempre apontado para fora, longe de você. Veja o diagrama abaixo:

 

Pentagrama_de_banimento_terra

Quando você desenha os pentagramas você deve visualizá-los como sendo de um azul muito brilhante e puro. É a mesma cor que você pode ver em uma faísca elétrica, na chama de um fogão à gás, ou quando um pequeno prato com fluído de isqueiro ou álcool é incendiado. Se você não pode visualizar tão bem de forma que possa de fato “ver” os pentagramas em chamas enquanto risca-os, basta saber além de qualquer dúvida que se você tivesse uma visão psíquica melhor desenvolvida você poderia vê-los. Saiba que está lá. “Veja” a chama seguir a ponta de sua adaga ou dedo enquanto risca os pentagramas no ar e sabe que a chama está lá.

O RITUAL MENOR DO PENTAGRAMA

Preliminares. Comece indo para a área onde você fará o ritual. Se você tem um altar, coloque-o no exato centro da sua área. Para ser totalmente completo, você poderá querer tomar um banho ritualístico de purificação antes do ritual. Este tipo de banho não se destina apenas a tirar a sujeira de sua pele. Em vez disso, ele limpa as negatividades e assuntos do dia do seu espírito. Primeiro, tome um banho para retirar a sujeira. Em seguida prepare um banho quente. Certifique-se de colocar alguns sais de banho ou sais de epson, acrescentando algum óleo perfumado ou essência. Entre e fique de molho por alguns minutos, sinta todas as suas preocupações e negatividades indo para a água. Agora puxe a tampa e deixe a água drenar enquanto você continua na água. À medida que a água escoa lentamente você sentirá todas as negatividades e coisas que estão perturbando você vão para o ralo com a água. Depois que toda a água for drenada para fora da banheira, saia e seque-se com uma toalha limpa e fresca. Finalmente, coloque seu robe ou roupas mágicas especiais.

Se você as tiver, coloque as quatro ferramentas que representam os elementos mágicos em cima do altar (ou mesa, ou cadeira, ou chão). Lembre-se, tenha todos eles presentes ou não use nenhum. Coloque os Arcanos Maiores em uma pilha no altar, também. Traga uma cadeira para sua área para que possa sentar-se. Como pode ver no diagrama abaixo, você deve estar de frente para o leste. Se você tiver velas, acenda-as e apague qualquer fonte de luz elétrica. Claro, se for dia você quererá fechar as janelas e cortinas, etc. Seu objetivo deve ser ter a sala iluminada apenas por velas. Além disso, acenda qualquer incenso que você queira queimar nesse momento.

Círculo RMP

Sente-se na cadeira, de frente para o leste, e faça um ritual de relaxamento. Agora levante-se, ainda de frente para o leste. Pegue a adaga (não a adaga do ar) com sua mão direita, ou aponte seu dedo como descrito acima. Saiba que você está na presença de D’us! O ritual começou!

Parte Um: A Cruz Cabalística

PASSO UM. Visualize a si mesmo ficando cada vez maior e maior, mais e mais alto, até que pareça uma torre acima do quarto em que está. Continue esta visualização de crescimento até que a cidade em que você vive esteja pequena sob seus pés. Veja o continente como pequeno em comparação ao seu majestoso corpo. Agora até mesmo a Terra é pequena abaixo de seus pés. No entanto, não importa quão pequena a Terra seja, ainda é firme e sólida sob seus pés, ancorando-o ao chão. Você não vai flutuar por aí. Agora visualize-se ficando tão imenso que os planetas do nosso Sistema Solar são como pequenas bolinhas de brinquedo girando ao redor próximo de seus pés. Logo eles são tão pequenos e difíceis de ver que até mesmo a nossa galáxia Via Láctea torna-se um pequeno ponto de luz à seus pés. Agora visualize um ponto de luz vindo de algum lugar muito acima de sua cabeça. Saiba que isto é apenas um pequeno pedaço da fonte de luz, e se você visse o brilho total desta luz você seria imediatamente cegado e possivelmente iria à loucura. Esta pequena fração da luz sem fim e sem limite forma uma brilhante esfera branca de luz pulsante acima de sua cabeça. Tem mais ou menos o diâmetro de um prato. É mais brilhante do que dez mil sóis, mas ainda é apenas uma pequena porção da fonte desta luz espiritual e Divina. Aponte para a esfera acima de sua cabeça com sua adaga ou dedo e “traga-a para baixo” (apontando) para a sua testa, logo acima e entre os olhos. Em seguida visualize este brilho enchendo sua cabeça com luz divina. Enquanto aponta para a testa vibre: ATAH

PASSO DOIS. Leve a ponta da adaga firmemente através do seu corpo até que você esteja apontando para o chão. Sua mão com a lâmina deve estar cobrindo sua virilha. Conforme faz isso, visualize a luz em sua cabeça descendo junto com a lâmina (ou dedo) através de seu corpo e além de seus pés para a eternidade. Vibre: MALKUTH.

PASSO TRÊS. Agora traga a lâmina até seu ombro direito. Enquanto faz isso visualize a luz branca indo do centro de seu corpo como um feixe do seu coração para a sua direita, passando a lâmina em seu ombro direito. Veja este feixe de luz estender-se ao fim do Universo, e mais além. Concentre-se neste feixe e vibre: VE-GEBURAH.

PASSO QUATRO. Mova a ponta da lâmina horizontalmente para o seu ombro esquerdo. Enquanto o faz, visualize o feixe de luz branca que se estende agora para o espaço infinito à sua esquerda. Enquanto se concentra neste feixe de luz, vibre: VE-GEDULAH.

PASSO CINCO. Una as mãos em seu peito em posição de oração. Se você estiver usando a adaga, a ponta deve estar para cima, não apontando para além de você, nem para os lados ou para baixo. Visualize dentro do seu peito, no ponto coberto pelas mãos, um luminoso brilho dourado. Vibre: LE-OLAHM, AMEM.

Segue-se o significado desta primeira parte do RMP: ATAH significa “teu” (para ti) em hebraico. A visualização dada acima juntamente com o ato de apontar a adaga (ou dedo) tem o propósito de indicar que você está ligando seu eu superior ao Divino. MALKUTH significa “reino”, e de acordo com a Kabalah refere-se a Terra. É por isso que você deve estar apontando para baixo. VE-GEBURAH significa “e o poder”, enquanto VE-GEDULAH significa “e a glória”. LE-OLAHM significa “para sempre”, e AMEM significa  claro, amém (mas você irá aprender o significado secreto da palavra “amém” em uma lição posterior).

Assim, a primeira parte deste ritual traduz-se como “Para ti o reino o poder e a glória para sempre, amém”. Isso soa familiar? deveria. É uma parte do Pai Nosso. E, embora esta tenha sido acrescentada ao texto original da oração como aparece nos evangélios, isto parece provar que, pelo menos alguns dos primeiros cristãos conheciam os segredos da Kabalah, a Arvore da Vida.

Existem muitas variações nesta parte do ritual. A Golden Dawn no passo Dois aponta para acima do peito. Thelemitas, aqueles que seguem os ensinos de Aleister Crowley, apontam para o peito entre os passos Um e Dois e vibram o nome “Aiwass” neste ponto. Aiwass, Crowley acreditava, era o nome de seu Sagrado Anjo Guardião e era uma inteligência extra-terrestre. Alex Sanders, fundador do sistema Alexandrino de Wicca, no passo um vibra “Kether” e no passo dois aponta para o estômago. Em vez de Amém, algumas pessoas preferem AUM ou ou até uma combinação como AUMÉM.

Como nota final nesta seção, se você ainda não percebeu isso, o que você fez foi visualizar-se como o centro do Universo com apenas luz Divina vindo através de você. Você pode querer permanecer nesta posição por alguns minutos para sentir este poder

Parte Dois: A Formulação dos Pentagramas

PASSO UM. Indo para a sua esquerda, mova-se ao redor e para a frente do seu altar, até o limite do espaço de seu círculo, para que você esteja na borda leste do circulo e olhando adiante para longe do centro onde está seu altar. Em outras palavras, você está no leste e voltado para o leste. Aqui, desenhe um pentagrama como foi explicado acima. Certifique-se de visualizar a figura como um jato azul de energia incandescente conforme você risca.

PASSO DOIS. Inspire pelo nariz. Ao fazê-lo, sinta a energia fluir dos confins do Universo para seu nariz, corpo, e para baixo e além dos seus pés para o centro da Terra. (Você não está mais no centro do seu circulo mágico e, portanto, no centro do Universo, como na primeira parte do ritual). Conforme você inala, as duas mãos devem subir para os lados de sua cabeça próximo as orelhas. A adaga (ou dedo indicador) deve apontar para fora. Sua mão esquerda (que deve ter permanecido a seu lado até agora) é levada para uma posição semelhante para a sua orelha esquerda, com o indicador apontando para fora, o resto dos dedos fechados em punho.

PASSO TRÊS. Dê um passo à frente com o pé esquerdo. Ao mesmo tempo projete suas mãos para frente para que elas apontem para o exato centro do pentagrama azul à sua frente (esta posição é conhecida como “Forma-Deus” e a forma-deus conhecida como “O Entrante”). Enquanto faz isso você deve exalar e sentir a energia voltar a subir pelo seu corpo até seus braços e mãos, através do pentagrama e até os confins do Universo. Você deveria usar a exalação inteira para vibrar o Nome Divino: Yod-Heh-Vav-Heh

PASSO QUATRO. Traga as mãos de volta para as suas orelhas enquanto traz seu pé para a posição original. Abaixe sua mão esquerda até o seu lado e aponte para o centro do pentagrama com seu dedo direito (ou adaga). Agora trace uma linha no ar na altura do centro do pentagrama conforme você se move no sentido horário circundando a borda do espaço do seu círculo. Você deve caminhar 90 graus e assim terminar no sul, de frente para o sul. Conforme risca a linha no ar você deve visualizar uma brilhante luz branca emanando da ponta do seu dedo ou lâmina. No sul, repita os passos 1 e 2 da parte dois, mas vibre: Ah-Do-NAI

PASSO CINCO. Repita conforme está acima, mas movendo-se para o oeste e vibrando: Eh-Heh-YEH

PASSO SEIS. Repita como acima, mas movendo-se para o norte e vibrando: AH-Glah

PASSO SETE. Complete o círculo conectando a linha branca do norte para o leste onde você começou. Então, movendo-se no mesmo sentido horário, retorne para trás do altar em frente a cadeira onde você começou o ritual. Você deve estar novamente de frente para o leste (veja o diagrama abaixo). Nota: se você não tiver um quarto para um círculo, simplesmente fique onde está atrás do altar.

Nomes RMP

PASSO OITO. Agora visualize o grande circulo branco se expandindo para cima e para baixo para formar uma esfera acima, abaixo e ao seu redor. O que você fez foi criar uma esfera branca brilhante ao seu redor com pentagramas azuis elétricos nos quadrantes que foram carregados e selados com os nomes de D’us.

A Kabalah é uma tradição monoteísta. Na Kabalah a suprema Fonte Divina está além da compreensão de nossas mentes mortais. Mas podemos conhecer e nos harmonizar com partes ou aspectos do todo. Estes vários aspectos são representados pelos diferentes nomes de D’us.

Yod-Heh-Vav-Heh é conhecido como o sagrado, ultimo e impronunciável nome de D’us. Sua verdadeira pronúncia é desconhecida. Em português poderíamos dizer que é formado pelas letras IHVH. Judeus nunca pronunciam a palavra, ao invés disso falam Adonai. Ao colocar as vogais hebraicas A-Do-Nai (Que significa “meu senhor”) ao redor das quatro letras que formam o Tetragrammaton, a palavra Yehovah ou Jehovah é formada. Portanto, usar esses “nomes” mostra uma incompreensão total deste santo nome. Yaveh ou Yahweh é também um equívoco, uma tentativa de pronunciar uma palavra sem vogais. Veja, IHVH pode ser apenas uma abreviação para uma palavra mais longa ou um código para outras letras. É possível que algumas das letras deste nome sejam dobradas. Ninguém sabe ao certo. Yod-Heh-Vav-Heh é a transliteração das letras hebraicas para o português, representando o IHVH. É dito que Yod representa o princípio masculino arquetípico (yang no taoísmo, animus em jung), e o primeiro H, chamado de Heh Superior, representa o principio feminino arquetípico (Yin no taoísmo ou anima em jung). O V, chamado Vahv em hebraico, se parece com um Yod estendido (há um profundo mistério mágico aqui) e representa a masculinidade física, enquanto o ultimo H, o Heh inferior, representa a feminilidade física. Assim, este derradeiro nome de D’us, o Tetragrammaton, o IHVH,  diz que D’us é a unidade final, a perfeita fusão de todas as dualidades (como representado pelo simbolismo macho-fêmea) em todos os planos. Certamente esta não é uma má noção da essência da Divindade.

Eh-Heh-Yeh (Eheieh) significa “eu sou” ou “eu serei”. Este é o nome de D’us revelado à Moisés no arbusto em chamas no monte Horeb. Na história, D’us diz para Moisés ir para o Egito e libertar os hebreus, ao que Moisés pergunta “quem devo dizer que me enviou?”, a resposta de D’us é “Eheieh ashare eheieh”, significando “eu sou o que sou” ou “eu serei o que serei”.

Ah-Glah é como o próximo nome é pronunciado, mas é comumente soletrado como AGLA. Isto porque é uma abreviação para as palavras Ateh Gibor Leolam Adonai. Isso significa “Tu és grande eternamente, meu senhor” e vem de uma oração hebraica. Estes quatro nomes de D’us estão associados com as direções e elementos mágicos dos quatro quadrantes.

Parte Três: A Evocação dos Arcanjos

PASSO UM. Estique os braços para os lados de forma que seu corpo forme uma cruz. Se você tiver uma adaga, a ponta deve estar para cima. Tome um segundo ou dois para mais uma vez sentir as energias fluírem através de seu corpo fazendo de você uma brilhante cruz de luz no centro do universo. A cruz também representa os quatro elementos arquetípicos: ar, terra, fogo e água.

PASSO DOIS. Visualize uma figura em uma colina á sua frente. A figura está vestida em paramentas amarelas com alguns detalhes púrpuras. A figura carrega um caduceu  (o símbolo usado por médicos, um bastão com serpentes entrelaçadas, que representa a força vital) e seu manto ondula com o vento. Você deve “sentir” a brisa vindo pela sua frente. Diga “A minha frente, RAPHAEL” (vibre o nome do Arcanjo)

PASSO TRÊS. Visualize uma figura atrás de você, vestida em azul com detalhes em laranja. A figura carrega uma taça e está cercada de cachoeiras. Tente sentir a umidade no ar vindo por trás. Diga “Atrás de mim, GABRIEL” (vibrando o nome)

PASSO QUATRO. À sua direita visualize uma figura vestida em escarlate com detalhes em verde. A figura empunha uma espada flamejante e você deve sentir o calor emanado desta direção. Diga “À minha direita, MICHAEL” (vibre o nome. O “ch” é meio gutural como no alemão “ach” ou no escocês “loch”)

PASSO CINCO. À sua esquerda visualize uma figura trajada em verde e marrom sobre uma paisagem fértil. A figura carrega alguns feixes de trigo. Diga “E a minha esquerda, URIEL” (vibrando o nome)

PASSO SEIS. Mova o pé esquerdo para a sua esquerda e visualize outro belo pentagrama ao seu redor, delineando seu corpo. Diga “Pois ao meu redor flameja o pentagrama”

PASSO SETE. Visualize um hexagrama dourado, uma estrela de seis pontas, dentro de você, bem onde está seu coração. Diga “e dentro de mim brilha a estrela de seis raios”

Parte Quatro: Repita a Parte Um, a Cruz Cabalística.

Mais uma vez, outras pessoas tem versões ligeiramente diferentes para a parte de evocação dos arcanjos. Em uma você diria “Ao meu redor flameja o pentagrama, e acima de mim brilha a estrela de seis raios”. Outro diria “à minha frente está o pentagrama, atrás de mim a estrela de seis raios”. Estas são pequenas diferenças, mas você pode querer tentá-las e ver como elas o afetam.

[Nota do tradutor: há uma versão em que os arcanjos estão representados com cabeças de animais como no Arcano XXI, à saber: Raphael (humano, amarelo), Gabriel (águia, azul), Michael (leão, vermelho), Uriel (touro, verde)]

Adiante segue-se um resumo esquemático do RMP sem nenhuma das explicações. Use isso para aprender o ritual, mas ele deve ser memorizado!

O RITUAL MENOR DO PENTAGRAMA
1. Toque sua testa, vibre ATAH
2. Aponte para baixo, cobrindo a virilha, vibre MALKUTH
3. Toque o ombro direito, vibre VE-GEBURAH
4. Toque o ombro esquerdo, vibre VE-GEDULAH
5. Junte as mãos no peito, vibre LE-OLAHM AMEM
6. Vá para leste, risque o pentagrama, aponte para o centro, vibre Yod-He-Vav-He
7. Vá para sul, risque o pentagrama, aponte para o centro, vibre ADONAI
8. Repita, mas traçando a linha para o oeste, vibre EHEIEH
9. Repita, mas traçando a linha para o norte, vibre AGLA
10. Leve a linha para o leste, completando o circulo, retorne para o centro.
11. Mãos estendidas, diga “A minha frente Raphael, atrás de mim Gabriel, à minha direita Michael e a minha esquerda Uriel. Pois ao meu redor flameja o pentagrama e dentro de mim brilha a estrela de seis raios”.
12. Repita os passos 1 à 5.

FORMULAS VIBRATÓRIAS

No RMP há palavras que se destinam a serem ditas com força e autoridade como “POIS AO MEU REDOR FLAMEJA O PENTAGRAMA”. Mas também há palavras hebraicas que são destinadas a serem “vibradas”. Você pode ter se deparado com essa expressão antes, e agora isso será explicado.

Por muito tempo tem sido um segredo oculto que toda a matéria é feita de vibração. Hoje as pesquisas de muitos cientistas dependem de isto ser um fato. Se nós assumirmos essa premissa de que toda a matéria é energia vibratória, então a magia se torna um tipo de ciência que permite a uma pessoa afetar vibrações.

Isso se torna muito importante para nós desenvolvermos uma compreensão de como controlar a energia vibratória. Há um fenômeno físico conhecido como “ressonância harmônica”. Isso simplesmente significa que se um objeto vibrar com força suficientemente grande, outro objeto próximo vai começar a vibrar (ou ressoar) com o primeiro se o segundo objeto tiver uma frequência vibratória natural em harmonia com o primeiro. Como um exemplo, se uma nota é tocada em um violino próximo de um piano, a corda do piano, que tem certa relação harmônica com a do violino, vai começar a ressoar. Assim, se você pode controlar a vibração de um objeto, como você mesmo, você será capaz de causar certas reações em outros objetos, tais como os que existem em outros planos de existência. Portanto, uma compreensão de como vibrar palavras é essencial para um magista.

Existem dois métodos de vibrar palavras, comumente conhecidos como fórmulas vibratórias. A primeira é uma fórmula interna (invocatória). Nesta fórmula você causa uma vibração em uma certa parte do seu corpo (na verdade, parte do seu corpo astral). Isso é exemplificado na parte da Cruz Cabalística do RMP. Vamos apenas observar a palavra ATAH. O que você deve fazer aqui é inalar completamente até que não haja espaço para uma mais nenhum ar. Em seguida, use toda a exalação para vibrar a palavra. Assim, a palavra é alongada: AAAAHHHHHHH-TAAAAAAAHHHH. Isso deve ser vibrado alto e em um tom de voz quase como um canto. O tom normalmente é superior ao tom da sua voz. Quase um grito. Mais importante, você deve sentir vibrar ou ressoar dentro de sua cabeça. Da mesma forma, MALKUTH deve ser sentido da virilha. VE-GEBURAH na área do ombro direito, etc.

O segundo método é a formula vibratória externa (evocatória). Com esta fórmula a intenção é estimular a atmosfera (na verdade, o chamado plano astral) externa ao seu redor. Isto é exemplificado na parte da formulação dos pentagramas do RMP. O método é bastante similar a fórmula invocatória. Você inala totalmente e enquanto exala você vibra alto as palavras apropriadas, neste caso, os nomes de D’us. Aqui, os nomes de D’us são estendidos como: AAAAAAAHHHHGLAAAAAHHH.

Você deve usar toda a exalação na vibração do nome divino ou palavras quando usa a formula vibratória evocatória.

A grande diferença entre as duas formulas é que na evocatória você deve sentir que o universo inteiro à sua frente está ressoando em harmonia com a sua vibração. Seu corpo inteiro e todo o universo devem ser experienciados como em sintonia vibratória ao seu chamado.

Há algumas pequenas variações nessas duas fórmulas básicas, como ver as palavras que você deseja vibrar em chamas à sua frente fazendo com que vibração carregue e energize as chamas. Outro método é soletrar a palavra de acordo com um determinado método em seu corpo. Esses métodos não são tão importantes quanto as instruções dadas.

Alguns estudantes-magistas não tem o luxo de um lugar onde eles podem vibrar os nomes divinos e palavras de poder de forma alta, firme e autoritária. Na verdade, eles precisam manter seu trabalho em segredo. Se você se encontrar em uma situação semelhante, você pode usar o que é disfarçadamente chamado de a “Grande Voz”. Ou seja, você pode fazer a formula vibratória silenciosamente ou muito discretamente, talvez ao nível de um sussurro ou de uma conversa normal.

No entanto, se você fizer isso, você deve ainda experimentar os fenômenos vibratórios. Você deve sentir as várias partes do seu corpo vibrando enquanto faz a formula vibratória invocatória. Você deve sentir o universo inteiro ressoando em harmonia com você quando usa a formula evocatória. Em outras palavras, você deve ter os mesmos resultados se você vibrar alto ou em Grande Voz.

Se você precisa usar a Grande Voz regularmente, eu sugiro que você encontre um lugar para praticar usando sua total capacidade vocal algumas vezes. Encontre um lugar em que você possa estar sozinho para fazer isso. Quando tudo ao seu redor parecer “mudar” um pouco, você vai saber que está vibrando as palavras corretamente. Estas mudanças não são físicas, mas você vai “sentir” que a área está diferente. Se você usar o RMP para essa prática (uma boa ideia) a área vai parecer mais limpa e fresca. Você também pode achar que deverá ajustar seu tom de voz para mais ou para menos, a fim de fazer tudo vibrar corretamente. Quando você acertar o tom que é correto para você, você saberá! Sua voz soará mais alta e mais autoritária, e o ar parece estar vivo com energia crepitante.

Então você vai saber o que se quer dizer quando diz-se que “a voz de um verdadeiro mago é uma coisa impressionante de se ouvir”

Como uma nota final sobre o RMP, lembre-se de incluir tudo o que você estiver fazendo no seu diário magico. E mais importante.
Faça o RMP com sentimento!
Faça-o muitas vezes!
Enflame-se em oração!

Fonte:
Modern Magick – Donald Michael Kraig

UPDATE – Sincronizando a Respiração

Parte Um: Cruz Cabalística
Inale visualizando uma esfera de luz acima da cabeça, exale sem pensar em nada em particular, Inale fazendo a luz descer para a cabeça. Exale. Inale intensificando a luz na cabeça, toque a testa e vibre ATAH.
Inale visualizando um feixe de luz vertical descendo até o chão, acompanhando o movimento do dedo ou adaga que para na altura dos genitais, apontando para baixo, para os pés. Vibre MALKUTH. Inale visualizando uma coluna de luz unindo o Céu e a Terra. Exale.

Inale levando o dedo ou adaga até o ombro direito, toque-o. Exale vibrando VE-GEBURAH.
Inale levando o dedo ou adaga até o ombro esquedo. Exale vibrando VE-GEDULAH.

Inale visualizando essa linha de força horizontal que se estendo em direção ao infinito dos dois lados do seu corpo. Exale tranquilamente. Caso tenha usado uma adaga, coloque-a sobre o altar. Junte as mãos sobre o peito. Inale visualizando um centro brilhante de luz e força dentro do seu peito e ao exalar vibre LE-OLAHN AMEM.

Você pode querer permanecer alguns momentos nesta posição respirando suavemente, depois relaxe os braços e continue seus trabalhos ou exercícios.

Parte Dois: Formulando os pentagramas
Recomenda-se sincronizar sua respiração com o traçado das linhas do pentagrama:
Linhas ascendentes – Inale; Linhas descendentes – Exale; Linha horizontal – retenha o ar.

Bibliografia:
Cabala Teúrgica – Jean Lois De Biasi
High Magick – Frater U.D.

5 pensamentos em “Ritual Menor do Pentagrama – Completo e Detalhado”

  1. Bem interessante. Quanto a parte final, “ao meu redor flamejam os pentagramas e acima de mim a estrela de seis raios”, li que é também uma alusão aos 32 caminhos da Otz Chim. Já que são 32 vértices (4 pentagramas, 1 hexagrama acima e outro abaixo). E nas palavras do próprio Crowley, estamos banindo o microcosmo (pentagrama), e como a Natureza detesta o vácuo, o Macrocosmo (Hexagrama) irrompe o nosso círculo.

    Mas uma perguntinha quanto questões mais práticas: A maioria dos autores diz para se segurar a adaga (ou usar o dedo) da mão direita, e são poucos os que falam sobre “mão projetiva e passiva”, que justificaria o uso da mão esquerda pelos canhotos. Qual a sua opinião?

    1. Ótimo comentário, Vinicius!
      Sobre a questão do canhoto, na minha opinião, faz sentido o canhoto usar sua mão esquerda visto que este ritual lida com energias e com o sistema nervoso (que no caso do canhoto tem suas funções invertidas nos hemisférios). Há também a questão simbólica da mão direita, mas isso, acredito, é cultural e pode ser reinterpretado. O canhoto deveria experimentar sistematicamente ambas as formas fazendo anotações dos resultados e, após análise e reflexão, deixar sua intuição lhe guiar pelo melhor caminho. Uma abordagem mais pragmática.

  2. Já pratico o RMP, de acordo com instruções que estão no blog Teoria da Conspiração, é bom ler uma versão diferente, e pensar com calma PORQUE é diferente!!!

    Muito bem explicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *