skip to Main Content
duende@divagacoes.org

Olá todos.

 

Em primeiro lugar peço grandes desculpas a todos que acompanham está série, mas por motivos de estudos e problemas técnicos com o novo servidor do site, fiquei estes dias todos impossibilitado de postar essa que é a conclusão – ou recompensa – das considerações sobre magia, prática e teórica, que vim realizando.

 

Devo avisar também que este post, ao contrário do que se possa imaginar, não possui uma sabedoria profunda – suponho que nenhum até agora teve, por que esse seria diferente? – nenhum segredo secreto místico-arcano, nenhuma técnica fodástica-cabulosa de destruição em massa, mas quem sabe um dia? (sonhar sempre é permitido).

 

Como sempre visei, meus posts são idéias jogadas ao debate e reflexão, dois quais cada um pode tirar o que quiser, ignorar, reinventar, enfim fazer aquilo que bem entender – sob sua própria responsabilidade é claro. Esse não vai ser diferente.

 

No tarot o mundo é o arcano da realização, do coroamento de um projeto. Na vida – e na morte alguns dizem – o mundo é uma passagem ou situação. Juntando ambas as perspectiva uma certa pessoa uma vez disse: No império do mundo, o trono é reservado à vontade.  Concordei.

 

Mas mesmo o próprio louco já apontou: Magia é energia trabalhada pela vontade. Por que então passar por 21 passos para chegar ao mesmo lugar?

 

A resposta segue a (ótima) música Astaroth da banda Mago de Oz: “No me creas, experimenta (…) pues no hay otro medio”.

 

A experiência é o elemento fundamental na vida dos magistas, é a prática – que assume infinitas formas – que possibilita o caminhar no seu próprio rumo, em direção aos próprios objetivos, seguindo a sua própria vontade, pois esta, como dito é a (ou uma das grandes) chave da magia.

 

Mas por quê?

 

Oras, vejamos: fato é que se o trono do mundo pertence a vontade, ao magista cabe usufruí-lo.   

 

Mas MagoImago, não estou entendendo, qual é a então a famigerada recompensa que o mundo traz?

 

Jovem gafanhoto-padawan, a recompensa do magista é sair do mundo “realidade” e reinar no mundo “situação”.

 

Hã?

 

Explico ao percebermos que tudo é energia, ao aprendermos a lidar com ela, somos capazes de entender que o mundo não está, de forma alguma, parado, acabado, terminado, mas que em movimento – ou em fluxo. Somos capazes de entender como somos capaz de modificar o mundo a nossa volta e enfim, transformá-lo a nossa vontade.

 

Sob esta perspectiva o mundo, realmente, em si é a recompensa: é a oportunidade-mor de criar, inventar, diminuir, esticar, recortar, ctrl+c/ctrl+v, e tudo o mais que uma pessoa possa pensar/desejar/querer. É o poder brilhar / acontecer.

 

Cabe, é claro, a cada um saber como melhor aproveitar esta oportunidade, assim como a forma como fazê-lo. Aqui eu dei idéias, possibilidades. Incentivo a todos que criem as suas próprias.

 

Chegamos ao Fim. Agradeço a todos que acompanharam meus posts nos últimos 2 meses (foi tudo isso?) e fico feliz de não ter sido fuzilado em comentários. Ha!

 

Espero que todos possam ter tirado algo proveitoso – ainda que a título de mau exemplo, o que me deixaria ainda mais honrado – e novamente digo a todos: Aconteçam. Nada é verdadeiro, TUDO é permitido.

 

Abraços,

 

 

MagoImago.

This Post Has One Comment

Deixe uma resposta

Back To Top
Search