A personalidade mágica e a prática.

Você dorme mal, acorda cedo, trabalha muito, se desgasta, come porcarias com pressa, navega na internet sem rumo, sem foco e sem atenção, chega em casa acabado e o Frater Prophecy quer que você acorde as 4 horas da manhã para rezar ? E o Marcelo Del Debbio quer que você fique fazendo exercícios de visualização ?

Como superar a inércia ? Como travar esse combate com a preguiça física, mental e espiritual ?

Existem várias formas, mas poucas tão eficazes e eficientes como uma personalidade mágica.

Uma personalidade mágica basicamente é um personagem criado por você para realizar as tarefas que o seu Eu comum seria incapaz de realizar.

O mundo como se encontra hoje parece ser desenhado para dificultar seu trabalho espiritual e mágico impedindo o desenvolvimento das nossas práticas, seja antes (preparação), durante (realização) e depois (estudo).

Na prática funciona assim:

João chega em casa cansado e quer ver TV, mas comprometeu-se a realizar uma meditação de 10 minutos e anotar os resultados, para fazer isso ele precisa pelo menos tomar uma banho simples de limpeza e se alimentar de algo leve e saudável.

9 em cada 10 vezes João vai para a internet, e de lá para a cama.

Porque João faz isso ? Em uma próxima coluna abordaremos o conceito dos muitos “Eus” morando em cada um de nós, por ora basta dizer que João não conseguirá realizar seus rituais, porque João quer descansar do trabalho, fica pensando na conta que vai vencer, nos problemas na família e em todo tipo de poluição mental e emocional que o impede de dedicar 10 minutos para si mesmo.

João então pensa como seria bom se ele já fosse um mago sábio, diligente e poderoso. Então ele decide criar uma personalidade mágica, reúne qualidades que ele tem dentro de si mas que raramente usa, em conjunto ou separadamente, transcreve tudo isso e pensa num nome que lhe traga essa sensação de tudo que ele quer ser. Frater Hierofante.

No dia seguinte João chega cansando do trabalho e tem certeza que não vai conseguir realizar o ritual, então ele decide “invocar” o Frater Hierofante. Ele se sente meio esquisito e meio ridículo no começo, mas decide se esforçar para manter o padrão de pensamentos do Frater Hierofante, se ele era incapaz de tomar um bom banho antes, o Frater Hierofante agora toma um banho cheio de significados, imaginando que a água o limpa em vários níveis, físico, emocional e espiritual. Ele ingere uma fruta mas antes se concentra em dar alguma energia específica para a fruta. Como hoje será um trabalho de concentração ele vai comer um morango devidamente carregado de disciplina. Coloca suas roupas de Frater Hierofante e medita durante os 10 minutos, anotando todos os resultados em seu diário mágico.

Frater Hierofante deixa suas roupas e seu quarto e João pode surfar a vontade na internet com a sensação de trabalho bem feito.

Na magia do CAOS existe o conceito de “fake it, until you make it”, a ideia aqui é dissociar por alguns momentos a sua persona comum da sua persona mágica permitindo que você realize um trabalho bem feito, sem se preocupar com as frivolidades da sua vida profana.

É importante ter a consciência de que não basta escrever meia dúzia de palavras num papel, pensar num nome pomposo e achar que vai fazer as chamadas enochianas ainda hoje. A personalidade mágica é algo que precisa ser desenvolvido e cultivado com carinho e responsabilidade.

É como um Você melhorado, despido das justificativas do ego, tudo o que você tem de melhor, uma amalgama de todas as suas qualidade que despontam quando você fez aquele ritual com o coração, quando você teve aquela intuição, quando você superou um limite.

Praticamente uma incorporação de EU superior, e como incorporação deve ser treinada e levada a sério, não ao ponto de virar uma neurose de dupla personalidade mas um comprometimento consigo mesmo de não estragar essa coisa especial que você criou para si.

Comece com pequenos passos, não realize um ritual logo de primeira se você ainda não esta confiante, um banho ou uma refeição por exemplo, ainda que seja só uma ducha ou uma fruta.

Você pode assumi-la momentaneamente numa fila de banco para realizar um alinhamento de chakras ou uma respiração consciente, treinando-a e treinando você pouco a pouco para tirar melhor proveito dela.

Os desdobramentos da técnica são muitos mas todos com esses propósito: Realizar, Concretizar, Manifestar.

Eu espero que você faça bom proveito dessa técnica e caso tenha alguma dúvida ou queira compartilhar com os irmão suas experiências, é mais que bem vindo para utilizar o espaço dos comentários.

Agradecimentos especiais ao Frater Petrus Philateus e aos alunos do curso de Magia Prática de Julho no Templo AyaSofia.

Por Frater Alef

fonte: http://www.deldebbio.com.br/2012/08/06/a-personalidade-magica-e-a-pratica/

As crenças e seus opostos

O ser humano crê. A realidade vêm sendo descrita de acordo com modelos e sistemas de crenças nos quais o Eu está estabelecido.

Crer significa desconhecer, pois separa-se aquilo que se crê do seu oposto, adotando como verdadeiro tanto um quanto outro. Assim como a luz sobre um objeto cria sua sombra, a crença estabelecida pelo homem cria um oposto complementar. A técnica chamada Anátema busca a união com este oposto complementar de uma crença estabelecida como forma de libertar o praticante dos guilhões da crença original.

Ao fazê-lo, toda a energia contida na crença original será liberada como crença livre. Continue lendo “As crenças e seus opostos”

Viagem Espiritual (Soul Travel)

Por E. A. Koeting
Traduzido por Andreas Noleto

Você já se sentiu cansado deste mundo? Como se ele houvesse se tornado chato ou previsível?
A projeção astral é a chave para encontrar seu verdadeiro lugar no Universo. Descubra como viajar para mundos espirituais e aprender segredos mágicos que quase ninguém sabe…

Soul TravelA Melhor Maneira de Obter Sucesso em Viagem Espiritual Continue lendo “Viagem Espiritual (Soul Travel)”

Repressão de sigilos

Sigilos, mais intensos do que você imagina
Sigilos - São legais pra caralho!

É uma dúvida de todo magista que começa a trilhar a senda “caótica” o significado de como esquecer o sigilo, tanto que na kaos-brasil ela é recorrente também. Para facilitar a pesquisa estou copiando aqui a pergunta(não divulgarei o nome do autor) e a resposta(do pássaro da noite):

Caros,
A pouco tempo tenho começado com meus estudos na magia do caos e achei muito interessante, tenho feito diversos exercícios e tenho obtido resultados interessantes.
Minha concentração aumentou, controle da minha mente e tal… mas agora estou obrigado a fazer algo pra mim realmente, pois surgiu uma situação complicada, então achei que já era hora de parar um pouco os estudos e resolver colocar as coisas em prática…
Então construí meu sigilo, fiz um mantra e um yantra, esquadrinhei o dia e horário propício pra lançar, mentalizei o q eu precisava e vi q seria melhor mesmo eu colocar sangue, apesar de odiar furar partes de meu corpo, mas eu realmente precisava de um resultado.
Então lancei meu sigilo, consegui esquece-lo e deixei o tempo rolar, mas aconteceu o inverso do desejo, a coisa em vez de alterar pra melhor complicou mais ainda e to começando a me foder de verdade.
Será que pelo jeito posso ter feito alguma coisa errada? Outra, seria por um acaso nem ter que ser um sigilo, mas algo mais complexo?
Bem, aguardo o q vem de resposta do pessoal, que vejo terem mais experiência q eu?
Atenciosamente,
XX

—————————

Saudações.

Muitas são as opiniões sobre o tema. Dar-lhe-ei a minha, sem com isto dizer que ela será a certa e as demais erradas, pois todas as idéias têm potência para serem aplicadas.

Existem duas técnicas que são associadas à Magia do Caos, sigilos e servidores. Como todas as técnicas usadas pela Magia do Caos, elas foram criadas com base em outras tradições. Sigilos são representações simbólicas de desejos a serem transformados em realidade percebível. Servidores são energias condensadas em torno de símbolos, que representam um estado de coisas a alcançar, ou, como digo, um espírito.

Simbolização de desejos são coisas tão antigas quanto a humanidade. Desde o homem das cavernas que a humanidade rabisca seus desejos e ansiedades como forma de externá-las, colocá-las para fora de si. O que Austin Osman Spare fez com a técnica foi estabelecer o princípio do REPRESSÃO como forma de manifestação daquilo que foi implantado no subconsciente (o sigilo).

Eis que esta é a chave do sucesso da técnica: Repressão. Muitos
autores e praticantes usam a palavra ESQUECIMENTO, dizendo que
assim que vc implanta o sigilo no subconsciente deve esquecê-lo.
Creio que o uso desta palavra leve os praticantes ao erro na
compreensão do processo. Esquecimento e Repressão são duas palavras diferentes que denotam uma atitude passiva para a primeira e ativa para a segunda.

Logo REPRIMIR o desejo consiste de uma postura ativa, de uma ação. Que ação é esta? A ação de REPRIMIR da sua mente qualquer ansiedade e consideração sobre o sucesso ou insucesso da operação, de tirar o assunto totalmente dos processos racionais enquanto ANSIEDADE ou EXPECTATIVA PELO RESULTADO.

Significa que o praticante precisa deixar de ter qualquer EXPECTATIVA pelo RESULTADO. Ora, isto difere de esquecimento. Esquecemos coisas sem importância, para o qual o nível de EXPECTATIVA é quase nulo.

Então chegamos no ponto onde quero mostrar que REPRIMIR um desejo significa ter a postura ativa de mente para tornar o DESEJO algo SEM IMPORTÂNCIA. Só assim se chega ao esquecimento. Pelo esvaziar da importância do desejo, e com isto trazer ativamente o esquecimento.

Então a pergunta passa a ser: COMO TORNAR UM DESEJO IMPORTANTE EM ALGO SEM IMPORTÂNCIA? Pois aeh está a chave do sucesso do sigilo.

Alguns praticantes fazem o caminho de iniciar com desejos realmente sem importância. Algo como (desculpem o exemplo besta) ter nuvens sobre a piscina para nadar no clube sem tomar sol. Para quem quer e está decidido a ir ao clube nadar, o sol é algo quase sem importância. Quem quer nadar nada com sol, sem sol, com chuvisco (só não nada com chuva de relâmpagos, por cautela). Então TANTO FAZ, TANTO FAZ SE HOUVER SOL OU SE HOUVEREM NUVENS, NEM UMA COISA NEM OUTRA TÊM IMPORTÂNCIA.

Esta é a condição ideal de REPRESSÃO do desejo de nadar em uma piscina coberta de nuvens.

Espero ter contribuído para uma melhor interpretação da técnica.

CAOS!

}:P

O tempo e seu valor

O Tempo Constitui Um Recurso Natural Valioso
Por : Carlos Cardoso Aveline

Qualquer momento é adequado para planejar com atenção o uso do tempo. É preciso, no entanto, ter a capacidade interior de observar com calma o ritmo atual das nossas atividades, para então decidir onde e como modificar a rotina e usar da melhor forma possível esse recurso limitado e de enorme valor.

“Águas passadas não movem moinho”, afirma o ditado. De fato, o tempo pode ser considerado um recurso natural em grande parte não-renovável. O uso correto do misterioso tempo ? talvez o mais valioso dos recursos naturais ? é um dos grandes desafios do cidadão em todas as épocas. Vivemos hoje sob a ditadura dos relógios, e a sensação de que o tempo é curto é quase universal nos dias atuais. Somos interrompidos a todo momento em algumas das nossas atividades. Por isso nem sempre é fácil viver profundamente ou descobrir que, como almas espirituais, teremos o tempo eterno à nossa disposição, se usarmos com alguma sabedoria o tempo miúdo de curto prazo.

 

Apesar dos obstáculos criados pela nossa própria ignorância, é provavelmente possível para cada um de nós planejar e usar o tempo de modo mais inteligente.

A solução está em definir um rumo próprio para nossas vidas e em não nos deixar levar para lá e para cá pelas pressões de curto prazo. Um dos primeiros passos talvez seja descrever por escrito, em um caderno de anotações, as metas dos próximos doze meses, ou da próxima década. O mero ato de escrever parece dar mais clareza às nossas idéias. Mas é essencial, também, fazer periodicamente uma avaliação dos resultados obtidos, revisando e atualizando as metas a partir dos fatos novos e da experiência adquirida. Planejamentos eficientes são flexíveis e abertos às possibilidades do futuro, incluindo as agradáveis e as não-agradáveis.

Continue lendo “O tempo e seu valor”