Exercícios para aperfeiçoar a visão.

Antes de pensar em usar a Visão, você deve aprender a se concentrar, o que é uma das atividades básicas e primordiais de todo o trabalho mágico. Uma pessoa concentrada (ou centrada), é uma pessoa pessoa que estabelece uma ligação profunda com a Terra. Da mesma forma, dizemos que uma pessoa distraída está “avoada” ou “no ar”. um estudo profundo sobre os quatro elementos pode nos levar ainda a outras definições.

É muito importante aprender a se concentrar, pois desta forma você permite que a energia da Terra flua através de você, ao invés de esgotar a sua energia. Quando você canaliza a energia, as forças atravessam você em direção à Terra, ao invés de esgotarem sua mente e corpo.

Existem muitas maneiras de se concentrar e através da meditação você pode chegar a esse nível. Existem muitos tipos de meditação para concentração e você deve encontrar aquele que você trabalha melhor.

Não é aconselhável partir para uma visualização se você ainda não aprendeu a se concentrar, portanto é indicado que você mantenha uma rotina de meditações até achar que consegue se controlar. Só a partir desse momento você deve partir para os exercícios de visualização.

Se você tem dificuldades para visualizar em sua mente, tente o seguinte exercícios.

Exercício 1

Concentre-se. Feche seus olhos e visualize uma parede branca à sua frente. Tente visualizar formas simples, tais como uma linha, um círculo, um quadrado, um triângulo (nível 1).

Se você já consegue visualizar de forma nítida as formas, então chegou a hora de inserir cores nelas. Imagine um triângulo em diversas cores, assim como as outras formas geométricas (nível 2).

Se você se deu bem, conseguindo visualizar tudo nitidamente, então pode tentar o inverso: imaginar uma parede de várias cores e as formas em branco (nível 3).

Comentários: O intuito deste exercício é fazer com que você consiga visualizar fácil e mentalmente. Se você ainda não conseguiu desenvolvê-lo, então tente no dia seguinte. É importante passar para um nível apenas após ter concluído o anterior. Não fique forçando muito a sua mente, para não ficar exausto. O ideal é manter uma rotina até conseguir realizá-lo com satisfação. Não tenha pressa.

Exercício 2

Concentre-se. Visualize uma banana. Veja seu formato, suas cores. Pegue-a nas mãos. Vire-as de um lado para o outro, de cabeça para baixo. Sinta-a; sinta seu cheiro. Sinta seu peso, sua textura, o tamanho.

Descasque-a. Sinta a textura da casca. Dê uma mordida na fruta; prove-a. Mastigue-as e sinta-a descendo pela sua garganta, enquanto engole. Continue comendo. Veja a banana ficando menor. Quando chegar ao final, veja-a desaparecer.

Comentários: Exercícios de visualização envolvendo alimentos são bastante úteis, pois nosso cérebro sempre guarda as informações necessárias ao longo de nossas vidas. São referências, correspondências. Ao pensar em um alimento, rapidamente nos lembramos de sua forma, cor, cheiro, gosto. Isso tudo é um conjunto de informações que estão guardadas em seu cérebro. Tente este exercício com outros alimentos, quando tiver sucesso neste da banana.

Exercício 3

Concentre-se. Visualize um pedaço de barbante. Visualise-se dando um nó nele, com facilidade e força. Veja suas mãos se mexendo e enrolando a linha. Sinta cada movimento que você faz. Finalize o nó e sinta o nó fechado (nível 1).

Agora, realize o mesmo procedimento para desfazer o nó. Sinta suas mãos no barbante desfazendo o nó, puxando o barbante e o soltando (nível 2).

Comentários: Este exercício é bastante utilizado ao finalizar um feitiço, para garantir que ele esteja mesmo “feito”. Da mesma forma, para desmanchar um feitiço, você deve desfazer o nó.

Exercício 4

Sobre um pano branco, distribua vinte objetos de livre escolha. É importante que alguns lhe sejam familiares e outros não.

Durante dois minutos, olhe fixamente para cada um deles, tentando memorizá-los. Depois desse tempo, cubra-os com outro pano.

Em trinta segundos, tente se lembrar de todos, anotando em um papel.

Comentários: Anote quantos objetos você acertou, quais não foram lembrados e quais foram as suas percepções durante o jogo. Realize este exercício outras vezes, especialmente se não conseguir se lembrar de todos logo na primeira vez. À medida que for conseguindo se lembrar de todos, vá adicionando o dobro de objetos a cada semana, para fortalecer cada vez mais sua percepção e memória.

Fonte: internet
faça um teste. tenta isso por 1 mes só. são 4 exercicios . tenta um por semana, 10 minutos do seu dia. e ai me diz o que resultou.

Abandonando o Impossível

Saudações Cardinais !

Nossa faz tempo que não posto aqui,  mas como ja havia dito num comentário qualquer, rs, pretendo voltar a postar em breve numa interessantíssima* série, neste importantíssimo* blog.

Antes porém, me sentindo bem humorado ultimamente, pensei em postar algo que eu realmente considero importante, e que muitas vezes já falei por aqui: ao magista cabe riscar, excluir, deletar, esvaziar a lixeira, do termo impossível de seu vocabulário.

Então vamos lá, hoje apresento: Os 5 passos para se esquecer do Impossível**

Continue lendo “Abandonando o Impossível”

O Mundo

Olá todos.

 

Em primeiro lugar peço grandes desculpas a todos que acompanham está série, mas por motivos de estudos e problemas técnicos com o novo servidor do site, fiquei estes dias todos impossibilitado de postar essa que é a conclusão – ou recompensa – das considerações sobre magia, prática e teórica, que vim realizando.

 

Devo avisar também que este post, ao contrário do que se possa imaginar, não possui uma sabedoria profunda – suponho que nenhum até agora teve, por que esse seria diferente? – nenhum segredo secreto místico-arcano, nenhuma técnica fodástica-cabulosa de destruição em massa, mas quem sabe um dia? (sonhar sempre é permitido).

  Continue lendo “O Mundo”

O Julgamento

Cortem a Cabeça dela !

 

Não sei porque mas sempre acho que a Rainha de Copas deveria ter sido a Rainha de Espadas, mas enfim… o tópico hoje não é a viagem psicodélica de Alice então deixemos isso pra lá.

Hoje nos encontramos aqui há um passo da recompensa: não se preocupe em procurar o anjo com a trombeta, ouvi dizer que ele acabou de entrar na banda cover do companheiro capetovsk. 

A proposta de hoje – como talvez não poderia deixar de ser – é uma reflexão: mas diferente daquela que foi feita arcanos atrás… se uma questão foi: “estou fazendo o que penso estar fazendo?”, hoje a questão é: “Por que fiz o que fiz ou Por que deixei de fazer algo?” 

Continue lendo “O Julgamento”

A Lua

Boa noite =)

Essa noite, em meus sonhos, vou sair voando por aí.. talvez encontrar com o Lelouch e a C.C., ou esmagar a aliança rebelde junto do Imperador Palpatine.

Ah como seria legal se pudéssemos controlar nossos sonhos, saber de antemão o que encontraremos e orientá-lo como queremos….

Ora ora, mas quem diria, não é  que isso já é possível?

Continue lendo “A Lua”

A Estrela

 

Saudações Siderais

 

Muito, muito tempo atrás em uma galáxia muito, muito distante, tive um professor que virava para os alunos e dizia: Brilhe! Aconteça!

O Dr. Silas era um velho bem chato – que felizmente a terra já está comendo – mas um ser interessante, entre as suas pérolas estava dizer continuamente: Cada um de vocês tem uma coisa, um supercomputador tão avançando, mas tão avançando que “nem a NASA tem”, e ai ele apontava para a cabeça com aquela cara de “sim estou falando sobre o cérebro de vocês”: Sagaz…

Continue lendo “A Estrela”

A Torre

 

Feche os olhos e desperta!

 

Como estão todos vocês? Como sempre, espero que bem.

O tema hoje é sério ou fútil, complicado ou simples: talvez ganhemos leitores, ou percamos alguns. Acredito que será um post longo, mas espero que meus amigos leitor, leitora e leitore, já estejam acostumados com isso.

Hoje vou falar sobre algo que alguns chamam de Despertar. Despertar não se faz com um ritual, não é um feitiço, ou qualquer coisa do gênero mas, um processo. Não é um súbito entendimento – não é uma iluminação – mas uma crescente pessoal a qual todos estão aptos, poucos chegam lá e alguns se perdem no caminho.

Continue lendo “A Torre”

O Diabo

– Thou Shall Not Pass

Existem momentos memoráveis da literatura ou do cinema – talvez de ambos – que nos ajudam a entender algumas coisas e assim, acredito que a imagem de Gandalf colaborará com o tema de hoje: Escudos Psíquicos.

Um escudo é uma proteção que levantamos – ou mantemos levantada indefinidamente? – contra forças externas: sejam ambientes, pessoas, espíritos ou qualquer coisa que possa fazer a pessoa sentir-se mal.

Hoje vou me focar mais na questão de ataques direcionados intencionalmente por parte de uma pessoa a outra, e assim chamo em suas memórias a cena de o Senhor dos Anéis*:

Continue lendo “O Diabo”

A Temperança

Saudações Joviais

Hoje me sinto calmo e paciente – e ainda nem tomei nada do armário de remédios. ainda.  Aproveitando portanto esta vibe Zen, pensei em tirar alguns momentos para falar sobre meditação.

Sim concordo que atualmente é dificil tirarmos um momento para uma atividade tão simples, e acredito que todos temos problemas – ou desculpas – para dizer: ah amanhã eu começo denovo…. – eu sei que eu tenho. :P.

Mas por outro lado talvez nos também estamos ritualizando algo que deveria ser mais simples: Quando se fala de meditação logo se pensa nos monges do tibete, sentar-se em posição de lotus ou para os mais descontraídos deitar na cama confortavelmente.

Continue lendo “A Temperança”

Justiça

Serenity Now !


Após muito papear com alguns colegas, percebi que existe uma questão que deveria ser colocada e que melhor momento para fazê-lo do que sob o signo de Têmis?

Até o momento falamos sobre energia e sua manipulação, sobre concentração e a vontade.

Aproveitemos esse momento então para uma reflexão pessoal: o que você está fazendo – supondo que esteja – está fazendo realmente?

Não se trata de uma questão de ego – per se –  mas sim de sentimento: como aquilo que sentimos atrapalha a diferenciar o que queremos (ou tememos) daquilo que de fato é.

O experimento de hoje é simples, ou talvez o mais complicado: que tal encarar-se frente espelho e indagar-se: “eu estou fazendo ou estou me enganando?”

Dizem, que a respostas estão nos olhos.

Basta encará-los