Diretrizes para avaliação de cultos

(Em uma escala de 1-5, com 5 sendo absotulo sim  e  1, absoluto não, marque todas as áreas de avaliação subjacentes.)

  • AUTORIDADE:
    grau pelo qual o grupo e/ou líder(es) reinvindicam o conhecimento definitivo sobre a natureza da realidade.
  • PODER:
    grau pelo qual o grupo e/ou líder(es) oferecem poder e status como resultado da afiliação ao grupo.
  • DINHEIRO:
    grau pelo qual suas finanças estão envolvidas para apoiar sua participação ao grupo e/ou apoiar seu(s) dirigente(s).
  • POLÍTICA:
    grau de hierarquia interna ou distancia entre novos membros e lider(es)…..pressões para atingir posição.
  • DOUTRINAÇÃO:
    grau pelo qual membros devem por a moral e a ética do grupo acima das suas proprias;  também o grau de rigidez dogmática e filosófica.
  • CENSURA:
    grau de controle que os líderes exercem sobre o estilo de comunicação dos membros; grau de inibição de idéias vindas de fora sobre o grupo, seus dogmas e seus dirigentes.
  • MEDO:
    grau de preocupação sobre inimigos reais ou imaginários; também é o grau do quanto humor é proibido em relação ao grupo, dogmas etc.
fonte: http://www.chaosmatrix.org/library/magick/texts/culteval.html

Santo Holmes das Causas Perdidas

Bom dia a todos 🙂

Penso que hoje, 07 de Julho aniversário do bicentenário da morte de Godofredo Paixão, é a data perfeita para iniciar um novo ciclo de posts – talvez um pouco mais esparsados que o ciclo anterior – com novas idéias de práticas e retomada de algum pontos chaves.

Em um primeiro momento pensei em entitular-la: Panteões, mas logo percebi meu erro e percebi que talvez fosse mais adequado tratá-la como Personalidades. E não poderia ter escolhido uma melhor para esta inauguração, ninguém menos que ele, o santo das causas perdidas, o primeiro e único: Sherlock Holmes.

Continue lendo “Santo Holmes das Causas Perdidas”